<$BlogRSDUrl$> Página Principal Escreva para Haylton Farias OutSite Ordem Ancestral da Santa Ignorância Sistêmica

sábado, outubro 30, 2004



O AMOR PELO DINHEIRO

" O amor pelo dinheiro como possessividade... será reconhecido por aquilo que é: Uma paixão doentia, um pouco repugnante, uma daquelas propensões em parte criminosa e em parte patológica, que geralmente são delegadas, com um frio na espinha, ao especialista em doenças mentais!"

John Maynard Keynes
Economista Inglês
1886 - 1946

terça-feira, outubro 19, 2004



O AMOR

Quando falamos de emoções, fazemos referência ao domínio das ações em que um animal se move...o que conotamos quando falamos de emoções são os diferente domínios de ações possíveis nas pessoas e animais, e as distintas disposições corporais que os constituem e realizam.
Por isso mesmo, sustento que não há ação humana sem uma emoção que a estabeleça como tal e a torne possível como ato.
Por isso mesmo também que, para que se desse um modo de vida baseado no estar juntos em interações recorrentes no plano da sensualidade em que surge a linguagem, seria necessária uma emoção fundadora paticular, sem a qual esse modo de vida na convivência não seria possível.
Essa emoção é o AMOR.
O amor é emoção que constitui o domínio de ações em que nossas interações recorrentes com o outro, fazem do outro um legítimo outro na convivência.
As interações recorrentes no amor ampliam e estabilizam a convivência; as interações recorrentes na agressão interferem e rompem a convivência.

(ex-traído de "Emoções e Linguagem na Educação e na Política" de H. Maturana,2001)

terça-feira, outubro 12, 2004


O QUE É EDUCAR
O educar se constitui no proceso em que a criança ou o adulto convive com o outro e, ao conviver com o outro, se transforma espontaneamente, de maneira que seu modo de viver se faz progressivamente mais congruente com o do outro no espaço de convivência. O educar ocorre, portanto, todo o tempo e de maneira recíproca. Ocorre como uma transformação estrutural contingente com uma história no conviver, e o resultado disso é que as pessoas aprendem a viver de uma maneira que se configura de acordo com o conviver da comunidade em que vivem.
A Educação como "sistema educacional" configura um mundo, e os educandos confirmam em seu viver o mundo que viveram em sua educação. Os educadores, por sua vez, confirmam o mundo que viveram ao ser educados no educar.
A educação é um processo contínuo que dura toda a vida, e que faz da comunidade onde vivemos um mundo espontaneamente conservador, ao qual o educar se refere.
Isso não significa, é claro, que o mundo do educar não mude, mas sim que a educação, como sistema de formação da criança e do adulto, tem efeitos de longa duração que não mudam facílmente.

(ex-traído de "Emoções e linguagem na educação e na política" H. Maturana, 2001)

This page is powered by Blogger. Isn't yours? |